Caçadores de Medula Óssea

Archive for the ‘Palavras ao Coração: Apaixone-se!’ Category

reerguedo-se 2

A jornada para se reerguer começa pelo perdão, o que vem daqueles que te cercam e o autoperdão. Gritamos por mudanças. Esperamos algo diferente. Solte-os e eles te soltarão. Libere aqueles que você tem carregado presos a si, por o terem magoado ou errado com você. Perdoar é extremamente benéfico para quem o pratica, se o outro fará o mesmo isso será uma decisão que caberá a ele. Seja o primeiro a tomar esta iniciativa, não discuta razões ou pela posição de quem está certo, apenas perdoe. Seja você o reconciliador em um relacionamento.

Invista na restauração da comunhão com o próximo. Não importa se você o ofendeu ou se você foi o ofendido, seja o que tem a iniciativa de perdoar. Invista contra o problema e não contra a pessoa. Solucione o problema e não coloque situações acima de relacionamentos. Isso fará bem a você! É o que te trará a paz de espírito, a maturidade, o sorriso, a esperança, a autoconfiança que dias melhores virão.

Jamais permita que uma pessoa saia de sua vida, sem saberem que foram perdoadas. Amanhã você pode não estar aqui para dizer isso e nem para receber o perdão que tanto te afligiu, temos tempos de vida diferentes. Somos perecíveis. E Perdoe-se também. Não esqueça os seus erros, mas, aprenda com eles. Transforme-se. Renove-se. Restaure-se. Para quê se punir, se você pode se tornar uma pessoa melhor? Ouça as críticas dos outros, como um filtro para aperfeiçoar-se. Lute para se aperfeiçoar como pessoa. Reconheça os seus erros e perdoe-se. Perdoar-se a si mesmo, é geralmente mais difícil. No entanto, o autoperdão nos libera de arrastarmos bagagens emocionais pesadíssimas. Restringe-nos a liberdade. Sufoca-nos. Faz-nos ficar “sensíveis” demais ao mundo e as outras pessoas. Faz-nos lidar com outras pessoas como se fossem a razão de nossos infortúnios. Faz-nos intolerante, cruéis, rancorosos, amargos e incompreendidos.

Vivemos a culpa de nossos erros durante muito tempo. O fracasso em nos perdoar coloca em risco o nosso futuro e nossas expectativas. A autocondenação abre porta para que situações ruins continuem acontecendo e continuemos a perder pessoas especiais em nossas vidas. Portanto, perdoe-se e compreenda-se. Ninguém é perfeito, toda pessoa observada de perto é problemática. Todos têm a sua dor. Todos têm as suas lutas e superações. Jamais cometa julgamentos contra ninguém. Não seja você o juiz, mas, seja o que ama incondicionalmente. Isso tudo, porque somos muito complexos e não cabe a nós exigirmos a perfeição de nós e dos outros. Porque todos nós estamos nessa vida para aprender e compreender coisas maiores. Relacionar-se é conviver e saber lidar com essas diferenças. É aceitar como verdadeiramente somos. Contudo, sempre zelando para nos tornarmos pessoas melhores a cada dia.

O segundo passo em direção a essa mudança de vida, é cultivar a habilidade de ir além do passado e usando-o como norteador para informar e melhorar o seu futuro. Tenha uma mente aberta a aprender, aprenda com as suas experiências. E o nosso maior obstáculos nessas horas, é a nossa própria memória. Aprenda a viver com a suas memórias, use-as não como um reator nuclear para reafirmar suas mágoas, mas, use-as como uma força positiva para transformar suas relações e futuros. Essa atitude nos restaura de toda dor, de todo golpe da vida, de todo abandono, de todo ressentimento, de todo ódio, de toda condenação, de toda vergonha, de toda humilhação, de toda assolação, seja lá o que for de ruim que você passou ou te fizeram passar, a sua essência interior é maior.

Mostre-se a quem duvida de você quem verdadeiramente é. Só você pode fazer tal revelação. Não se escondam, ouse ir além do seu passado. A chave para vencer as experiências ruins do seu passado, é deixar com que suas memórias o tornem mais forte em vez de o destruírem e o desequilibrarem.

Experiências desanimadoras e frustrantes poderão ser parte de sua vida, até aí é humano, é normal, mas, não permita que elas continuem a te atingir, a te humilhar, a te fazer chorar e autocondenar. Supere isso. Na verdade, elas podem tornar-se meios para você se autoaperfeiçoar como indivíduo, elas podem lapidar os seus potenciais, podem revelar as suas forças e subjugar as suas fraquezas.

Se você estiver disposto a encarar o seu passado, aprender com seus erros e permitir perdoar e ser perdoado você se tornará uma pessoa mais autoconfiante. Supere os seus defeitos e redima os seus erros.

As crises são chamamentos da vida para te acordar. Você não pode amadurecer e desenvolver as suas habilidades, permanecendo o que você é. Sua vida será em vão, enquanto você não descobrir “as suas asas”. Entenda que a emoção do voar, inicia-se com um medo terrível de cair. É natural sentir isso. Tudo o que o destino faz por você é empurrá-lo para uma crise temporária, a fim de que você tente as suas asas. Experimente a altitude!

Muitas pessoas podem ter desistido de você, mas, eu jamais desistirei de você! Jamais te deixarei, sempre estarei aqui com votos sinceros de amizade e lealdade. Eu não sou perfeita, mas, entendi que minha missão nessa Terra é ajudar você. É estar aqui no Blog Caçadores de Medula Óssea. Esse é o meu lugar. É o que sei fazer de melhor e é tudo o que eu tenho de mais precioso na minha vida, cada um de vocês. É dividir com você o pouco que eu sei. É dividir minhas alegrias e sentimentos, porque no fundo, eu e você só temos um ao outro. Viver a leucemia nos impôs isso, nos compreendemos com perfeição.

O terceiro degrau para nos reerguermos, é resgatar o tempo que nos resta. Não podemos desfazer situações passadas, mas podemos fazer mudanças necessárias para que usemos os restos de nossos dias de forma sensata. Você pode substituir o desalento, ira, ressentimento, desespero, vergonha, humilhação, dor e perdas na sua vida, pela paz interior, felicidade e realização.

Assim como uma semente está cheia de promessas potenciais, assim a sua vida é abundantemente cheia de propósitos, sonhos e realizações que serão fecundados ao longo de sua vida. Confie. Não fomos apenas criados para essa vida, fomos semeados para produzir resultados infinitamente maiores. Já ouviu aquela história das probabilidades de um espermatozoide? Então, já somos vencedores por ter nascido, já começamos a nossa vida vencendo desafios assustadoramente grandes. Não será agora que vamos parar! É mais importante ser você mesmo, do que ser o melhor! Ante os conflitos, é mais importante ser o que aprende, do que o que tem a razão.

Anúncios

perdao

           Será que precisamos nascer com uma personalidade magnetizante ou com uma forte intuição para se sair bem em relacionamentos? Quando se trata de habilidades pessoais, será que tudo é pré-determinado? O final desse relacionamento tinha mesmo que ser assim? Será que as pessoas são mesmo imutáveis? Quando desistimos delas, acreditamos que somos imutáveis, intolerantes e irrelacionáveis. Prefiro que as relações sejam findadas por falta de sentimento, do que por incapacidade de convivência e relacionamento.  Observo que seja qual for a nossa personalidade, educação e temperamento possivelmente em alguma fase de nossa vida magoaremos outro alguém, assim como também seremos magoados.

            Todos os dias, ao acordarmos, recebemos da vida o presente e a oportunidade de nos tornarmos pessoas melhores. E para ser melhor a cada dia, é preciso dar valor à habilidade de se relacionar com os outros! É preciso ouvir! É preciso perdoar! É preciso compreender! É preciso entender e aceitar o feedback do outro! É preciso compaixão e humildade! Em vez de colocar cada pessoa em seu lugar, devemos nos colocar no lugar delas. Pergunte o que grandes personalidades imortalizadas em nossos arquivos históricos tinham de incomum, arrisco afirmar que seja a habilidade de se relacionar com os outros. Seja qual for a sua profissão, seu estado civil, seus sonhos, projetos, aspirações, emoções e etc, cultivar o saber lidar com “gente” é muito mais importante do que qualquer conhecimento que um ser humano almeje ter. A capacidade de lidar com gente faz a diferença entre aqueles que se destacam e aqueles que fracassam em relacionamentos. Na matemática dos relacionamentos, o que faz de você uma pessoa expert não é a “quantidade” de pessoas que já passaram em sua vida, mas, a quantidade de pessoas que “permaneceram” em sua vida. É uma habilidade de valor incalculável!

            Muita gente cai na armadilha de achar que os relacionamentos não são prioridades. Isso não é bom, pois a nossa habilidade de construir e manter relacionamentos saudáveis é o fator mais importante para se sair bem em qualquer área da vida. Ressalto que o manter relacionamentos é tão importante quanto o construir novos relacionamentos. Vivemos numa sociedade de valores descartáveis, cuja importância está em construir “novos relacionamentos” ao invés de “manter e restaurar relacionamentos atuais”. A matemática justa deveria ser sempre a de somar, jamais subtrair.

            O pecado mortal em nossos relacionamentos pessoais é que não damos a eles a devida importância ou deixamos de demonstrar ao outro o que a relação nos significa. Não dedicamos um esforço ativo e contínuo a fazer e dizer coisas que contribuirão para que as pessoas gostem mais de nós, acreditem e confie em nós, nos conheçam melhor, nos compreendam, se identifiquem, portanto, criando nelas o desejo de estar conosco na realização de nossos propósitos e desejos. Aliás, pedimos e cobramos demais e esquecemos-nos de doar! Reclamamos e apontamos os defeitos dos outros e esquecemos-nos de listar suas qualidades, sua importância e significância para nós! Sufocamos o outro com nossas carências. Tudo neste mundo começa com GENTE!

            Vamos encarar alguns fatos: Nem todos possuem a habilidade de iniciar, construir e sustentar relacionamentos bons e saudáveis. Muitos de nós fomos criados em lares problemáticos, e nunca tivemos modelos positivos de relacionamento com os quais pudesse se inspirar. Estamos tão concentrados em nós e nossas necessidades, ou até mesmo sob o filtro da dor, que ignoramos o outro, seu espaço e suas necessidades. Invadimos, constrangemos e desrespeitamos o outro. Gritar as nossas dores, agonias, ansiedades começa a ser mais importante do que o escutar e compreender o outro. Suspeitamos, desconfiamos e inquirimos o outro como se fossem a razão de nossa essência problemática.Colocamos as situações acima do relacionamento. E por mais que mudemos de relacionamentos, continuamos os mesmos. Então, fazemos de nossos relacionamentos elevadores, ora em cima, ora em baixo. Gritamos sem nenhuma coerência, falamos sem nenhum filtro ou análise de nossos julgamentos, importunamos, agonizamos, esquecendo o quão prazeroso é o sussurrar, a cumplicidade de uma boa gargalhada e o compartilhar com o outro nossas adversidades sem agredi-lo, sem incomoda-lo, sem cobranças. Cumplicidade.  Apenas, cumplicidade. Reciprocidade. E é por isso, que afirmo que devemos continuamente lutar para sermos pessoas melhores! Pois quem você é determina a sua maneira de ver tudo a sua volta. O que você é, o que você viveu e os exemplos que assimilou ao seu redor dá o tom para as coisas que você vê. É a sua lente.

Recordei-me de uma anedota:

Um viajante que se aproxima de uma grande cidade perguntou a um velhinho sentado à beira da estrada:

-Como são as pessoas dessa cidade?

-Como eram as pessoas do lugar de onde você veio? O velhinho devolveu.

-Horríveis – disse o viajante. – Más, nada confiáveis, detestáveis em todos os sentidos.

-Ah, – respondeu o velhinho – você verá as mesmas coisas nessas cidades.

Assim que o viajante foi embora, outro parou para perguntar sobre a mesma cidade. Mais uma vez, o velhinho perguntou como eram as pessoas do lugar de onde o segundo peregrino vinha.

-Eram pessoas muito boas. Honestas, trabalhadoras e bastante generosas – respondeu o viajante – Fiquei triste por deixá-las.

– É exatamente o que você verá nas pessoas desta cidade – respondeu o velhinho.

            Todos temos uma série de referências pessoais compostas por nossas atitudes, experiências passadas, incutidas ou temidas, pressuposições e expectativas no que se refere a nós mesmos, a outras pessoas e à vida. Esses fatores determinam se somos otimistas ou pessimistas, alegres ou apáticos, crédulos ou desconfiados, amigáveis ou reservados, valentes ou tímidos. E não dão o tom somente de como vemos a vida, mas também de como permitimos que as pessoas nos tratem. E o pior, e de como que certamente erraremos com o próximo.

            E se hoje escrevo esse artigo, não é porque sou uma expert em relacionamentos. Ao contrário, cometi todos esses erros. No entanto, permito-me corrigir. Luto para vencer minhas falhas. Busco o meu aperfeiçoamento, como individuo. E é por isso que peço perdão a todas as pessoas que um dia agredi com minha falta de preparo em me relacionar e conviver com os outros. Pelas vezes que não escutei, não dei ouvidos, que insisti e que falei além do que devia. Pelos comentários feitos em momentos inapropriados. Perdoe-me pelos telefonemas de forma inconveniente. Pelas vezes que invadi o seu mundo, os seus momentos, a sua privacidade, o seu ser, o seus sentimentos. Pelas vezes que invadi o seu momento de ficar só. Pelas vezes que desisti da vida, da minha própria vida. Pelas vezes que desisti do tratamento. Pela minha ansiedade e carência absurda. Perdoe-me pelo desrespeito! Perdoe-me pela agressão! Pelos altos e baixos em meu temperamento, aliás, pela destemperança. Que possamos retomar o nosso relacionamento de onde ele parou, mas, não da mesma forma de onde e como ele parou, pois hoje enxergo e reconheço os meus erros. Sei o que preciso melhorar! Sei atitudes que devo mudar! E agora enxergo formas de fazer diferente. Agora vejo os meus erros e os referenciais errados ao qual me reportei todo este tempo. Hoje, sei como me tornar uma pessoa mais confiante, mais respeitosa, mais compreensiva e companheira. Hoje, sei que posso ser uma pessoa aberta ao diálogo, a um feedback. Hoje eu sei te ouvir. Hoje reconheço o seu lado da história, reconheço o seu lugar na minha vida e reconheço o quanto eu errei, o quanto te afligi com minhas inseguranças, ansiedades, desequilíbrios e destemperanças. Peço a você, que me dê à oportunidade de ser uma pessoa melhor! Que me dê à oportunidade de reviver o nosso relacionamento de forma diferente, assertiva e compreensiva. Por favor, não desista de mim! Eu sei que eu posso ser uma pessoa diferente. Eu sei que posso amadurecer o meu “Eu”. Eu sei que posso vencer os meus obstáculos interiores. E para isso eu preciso de você! Eu preciso do seu perdão. Vamos viver melhor. Vamos nos relacionar da melhor forma. Pois, hoje eu celebro a cura das minhas emoções, pensamentos e atitudes. Hoje, celebro um novo Eu. Um novo destino e escolhas melhores e maiores.

Com amor extravazante,

Andréia Kely

 

cair-e-levantar

               Muitas escolhas parecem estar fora de nosso controle, uma vez que não dependem exclusivamente de nós. Decisões capazes de alterar nossas vidas, nossas empresas, nossas famílias, nossos trabalhos, nossas amizades, nossa quadro de saúde por não dependerem somente de nossa vontade ou opinião. Quanto mais pessoas envolvidas, maiores serão as variáveis.

            Mas, se soubermos conviver com as incertezas e acreditar em nós mesmos, sempre haverá novas alternativas disponíveis. Seja qual for à situação, você sempre terá outra escolha! Você sempre terá outra saída!

            Ante as intempéries da vida, algumas pessoas se afundam no desespero, outras paralisam por anos até tomar a atitude de continuar a seguir, e por fim há pessoas que logo pensam na próxima etapa. Sinceramente, não sei apontar qual é a atitude certa. A única conclusão que posso chegar, é que seja qual for o processo de atitude assumido a próxima etapa será o processo mais natural após uma queda, que é o levantar-se. Dependendo de sua reação, o levantar pode levar uma vida inteira, ou alguns anos como também pode ocorrer imediatamente, o fato é que cada um passa pelo processo a que tem maturidade para lidar. A autoimagem e a aceitação de riscos pesam mais na reação de alguns indivíduos.  E você irá cair muitas vezes na vida, para depois se levantar! Não se assuste!

            Tenha como objetivo progredir e não se esforçar. O que isso quer dizer? Significa que nessa vida, você pode se dedicar muito, de maneira ineficiente, e não ter retorno pelo seu esforço, ou pode se dedicar menos, com eficiência, e ser recompensado. Seja assertivo.Tudo dependerá de sua atitude! Portanto, se você já tem consciência do processo que escolheu e se sente confiante para passar para a próxima etapa então: – Levante-se! A vida te espera!

            “As pessoas que estabelecem o seus objetivos em termos concretos e avaliam suas atitudes periodicamente sentem-se 50% mais confiantes na vida e têm 32% mais chances no controle de suas vidas” (Howatt, 1999)

 

generosidade x2

Nenhuma pessoa jamais foi reconhecida por algo que recebeu. O reconhecimento foi à recompensa por algo que doou. (Calvin Coolidge, presidente americano)

Nada toca mais profundo as pessoas do que a generosidade. E a generosidade não é um acontecimento pelo acaso. Vem do coração daquele que o doa. Pessoas generosas não conquistam coisas só para si, o fazem para doar e dividir com os outros. Não me refiro em generosidade como filantropia, doações, bens e outras coisas, que entendemos como generosidade. Refiro-me a generosidade como uma virtude de caráter, que pode ser desenvolvida. E penso que os passos para isso são:

1-      Seja grato por tudo o que você possui.

Uma pessoa generosa sempre está satisfeita com o que possui. A generosidade está intimamente ligada ao contentamento e não a insatisfação.

2-       Seja gentil, coloque as pessoas em primeiro lugar.

Só podemos doar quando colocamos as pessoas em primeiro doar.

3-      Não permita que o desejo de posse domine você.

Quando achamos que algo nos pertence, agimos de forma egoísta e controladora. Possuir coisas é uma obcessão em nossa cultura. Se você deseja ter o controle do seu coração e suas emoções, não permita que o sentimento de posse te domine.

4-      Considere o dinheiro apenas um recurso.

Se você se concentra em apenas ganhá-lo, certamente é um materialista. Se tenta porém e não consegue ganhá-lo, é um perdedor. Se ganha muito dinheiro e o guarda, é avarento. Se ganha muito dinheiro e o gasta, é consumista. Se não se preocupa em ganhar dinheiro, não tem ambição. Agora, se ganha muito dinheiro e ainda o tem quando morre, é um tolo, pois não poderá levá-lo consigo. Percebo que a única maneira de vencer essa relação doentia com o dinheiro, e não se apegar a ele, e usá-lo para realizar coisas grandiosas e de importante valor. “O dinheiro é um servo maravilhoso, porém um senhor terrível”. (E. Stanley Jones)

5-      Desenvolva o hábito de doar.

Quando ouvimos a palavra doação, associamos automaticamente com dinheiro. Achamos que devemos apenas abrir a carteira e pronto missão cumprida. Não doar não é isso. Doar é amar. Doar é dar atenção. Doar é ouvir. Doar é compreender. Doar é perdoar. Doar é cooperar. Doar é participar. Doar é ensinar. Doar é ser mentor de alguém. Doar é contribuir. Doar é abraçar o solitário. Doar é abrigar o órfão. Doar é estender a mão. Doar é compreender os erros de outro e o aconselhar. Doar é ajudar.  Se você não estiver fazendo doações nas pequenas áreas de sua vida, provavelmente não é tão generoso quanto acha que é.

A coisa mais valiosa que você pode doar é você mesmo. Ofereça uma fração do seu tempo a alguém. Ensine-o. Prepare-o. Escute-o. Entenda-o. Perdoe-o. Abrace-o. Toque-o. Inspire-o. E então descobrirá o verdadeiro principio da generosidade. “Tudo o que não é doado é perdido”. (Rabindranath Tagore – poeta indiano). O que você está perdendo por retê-lo?

Você sabe o que me animou escrever esse artigo, saber que você iria lê-lo. Estou doando o pouco que sei. Estou multiplicando e inspirando-os a um melhor nível de vida. Para que não cometam os mesmo erros que eu. E para que atraiam pessoas que se identifiquem com o seu jeito de pensar. E sejam pacientes com as pessoas que te cercam, erros fazem parte do processo de amadurecimento. Ajude-os, com compaixão. Não há nada mais terrível do que não ter o perdão por algo que você realmente deseja reparar.  Bem, eu ainda tenho muito que desenvolver para ser verdadeiramente generosa, mas, decidi que viverei os meus dias sendo uma pessoa melhor. Serei generosa com a minha vida, com o meu eu e com todas as áreas de minha vida. Decidi que lerei todas as lições escondidas nas entrelinhas da vida. Eu desejo ser melhor a cada dia. E é por isso que estou compartilhando meus processos de descobertas com vocês.

 

voluntariado

Você sente que tem disponibilidade e energia sobrando? Deseja construir laços de relacionamentos verdadeiros, significativos e motivantes? Percebe que seu trabalho profissional e em casa ainda não preenchem satisfatoriamente sua necessidade de conduzir um projeto maior, um algo mais?

Pois vou te dar um conselho, baseado em uma das coisas que mais alegraram o meu coração durante estes anos: reserve uma hora dessa semana e faça um trabalho voluntário. Sim, dedique uma parte de seu tempo a pessoas que precisam de cuidado e atenção. Envolva-se! Apaixone-se por uma causa! Identifique-se!

O trabalho voluntário ajuda a comunidade, seu bairro, os grupos que você participa, bem como o país. Nos coloca no real papel da cidadania e filantropia. No entanto, também ajudará você a ver a vida com outros olhos, a sentir-se útil, a receber o retorno em forma de gratidão de pessoas muito simples, que o tiveram como um verdadeiro bem feitor em suas vidas. E isso aumentará sua autoestima e motivação, realinhará suas aspirações, projetos e sonhos. Aperfeiçoará o seu foco, acariciará sua alma, trará contentamento sincero e confortará suas expectativas na vida e futuro. Pense nisso e invista em alguém!

“Pessoas que fazem algum trabalho voluntário tem 25% mais satisfação na vida,são mais éticas e persistentes em atingir objetivos de longo prazo, assim como em relacionar-se com os demais.” (Johnson, Beebe, Mortiner e Snyder, 1998)

dias-chuvosos

        Muitos meses se passaram de minha última publicação, e aqui estou novamente frente a frente com todos vocês. Novamente cara a cara com a LMC. Recidiva sempre foi um dos meus maiores temores, mas, parece que é o que o destino reservava para mim. Meu mundo de cristal, enfim, ruiu. O medo chegou, as incertezas tomaram de conta de minhas frágeis certezas e o sonho acabou, todos os sonhos se foram, até aqueles que nunca imaginei que um dia iriam partir. Partiram. A vida está me deixando! E o que me resta são sentimentos de abandono terrível, temores e silêncio.

            Novamente a minha vida está em perigo, é o que significa. Retomar o tratamento não é garantia de nada, apenas uma nova tentativa, que pode dar certo como antes ou não. E como saber lidar com isso? E como viver, simplesmente viver, continuar a vida? Como não repensar sobre a sua vida? Como não repensar suas atitudes, suas escolhas, seu EU? Como não reviver toda a sua vida e tudo o que já passou? Como não reviver todas as lagrima, sorrisos, erros, acertos, saudades, alegrias, mentiras, verdades, vitórias, fracassos, angústias, contentamentos, afetos, realizações e muitas outras emoções vividas? E o que o futuro significa agora? Redenção? Remissão?Restauração? Renovação? Queria contar com tudo isso…Nessa hora buscamos forças de onde nem imaginamos que existem, mas, sinceramente é preciso mais que “força” para não perder a vontade de continuar a viver.

            Às vezes me pego pensando, o que me fez chegar até aqui. O porquê dessa vida a conta gotas? O porquê de tantas perdas? Qual é o propósito disso tudo? Dessa vez eu não tenho palavras para expressar, escrever, avaliar…tudo ainda está escuro para mim.

            Em contrapartida, observo que Médicos quando perguntado o que causou o câncer vão sempre responder que não sabem, mas quando você considera que o câncer é apenas um problema no mundo desenvolvido e, raramente aparece em países pouco desenvolvidos, porque os países desenvolvidos não são realmente focados sobre as causas, mas apenas em seus tratamentos. As causas de câncer são simplesmente o mundo atual moderno, alguma coisa no nosso dia a dia está errada. Podem ser os nossos alimentos processados, nossa falta de exercício por causa de automóveis e outro dispositivos que podemos usar e muitos produtos químicos que podem nos cercar no trabalho, na lavoura, em casa, enfim, provavelmente todos foram extraídos do óleo cru. Petróleo bruto e câncer estão intimamente relacionados, dizem algumas pesquisas. E assim vamos vasculhando, o que pode ser o real motivo. Dizem que é impossível uma pessoa saudável ter câncer! Saudável de quê? Só do corpo físico? Mas, onde está a desordem? No físico, emocional, nos campos energéticos, sensoriais? Onde?

            Com uma doença como o câncer, não estamos lidando com um problema médico complexo. Todos os cânceres são simplesmente uma doença do sistema imunológico fraco e as respostas são para fortalecer esse sistema e permitir que o corpo se cure. Ele funciona com todos os tipos de câncer, todos temos um sistema imunológico ou um sistema de reparo interno. Mas, o que repara nossas emoções? Quem repara o nosso Eu? Quem repara a nossa vida depois de termos perdido tudo por causa dessa doença? Por onde a Vida começa, pelo corpo físico, emocional, sensorial etc? Por onde?

            No mais, ouço dizer que nossas defesas naturais não pode igualar os poderes de cura surpreendentes de uma vida natural, e isso é especialmente verdade com qualquer câncer hoje, devido aos nossos péssimos hábitos. E novamente questiono: Como reparamos nossas vidas? O que devemos fazer? Como reparamos o que vivemos até aqui? Como perdoamos e somos perdoados? Como revivemos? Como nos transformamos em indivíduos emocionalmente melhores? Quem é capaz de permanecer ao nosso lado nessas horas? Todos fogem!

            Esse é o primeiro post que não consigo achar um desfecho para finalizar o texto, porque entendo que tais perguntas ainda não tem respostas e o “Destino” não podemos entender. Apenas, digo que me cabe viver um dia de cada vez, até que o último se esgote. Pode demorar dias para que eu saiba essas respostas, mas, podem demorar anos e até mesmo o resto da minha vida. Pronto desabafei…

            Mas, sabem o que dizem sobre dias chuvosos? A tradição judaica é uma das que mais apreciam e celebram as chuvas. Para os povos do mediterrâneo, as chuvas e temporais eram presentes do céu! Pois a chuvas traziam vida aos desertos, fartura para todo o ano, significava a multiplicação de seus mantimentos, celeiros fartos, vida abundante, reflorescimento, restauração, reconstrução. A palavra hebraica para chuva égueshem, que significa “físico”. Para quem lida com agricultura, chuva significa vida. Ela nutre e sustenta o crescimento dos alimentos. Em Israel, ao contrário do Brasil, é previsível: durante o inverno deve chover; no resto do ano, não. Faziam-se festas para celebrar (Sucot), embora não aprecie o sacrifício de animais pois tais festas envolviam isso, apenas me limito a apreciar como eles encaravam as chuvas, e isso sim é algo importante de se observar. Acho interessante a visão deles sobre uma condição climática, que é tido como um fenômeno ruim para tantos países, até para muitas pessoas. Quem nunca viu alguém desanimado por ter que sair ou trabalhar em um dia chuvoso. As pessoas esquecem o real fundamento das chuvas. Embora vivamos em mundo moderno, cheio de tecnologias, a água e as chuvas ainda são elementos naturais de subsistência. Quem sabe, precisamos ver as adversidades sob a perspectiva de um olhar diferente.

(Anônimo)

O amigo oculto que tirei, é uma pessoa muito especial, um guerreiro  nato, guerreiro forjado e adestrado  nas mais árduas batalhas de sobrevivências da vida,  alguém que foi destinado a vencer, aquele o qual compartilho muito de minhas vivências, alegrias, histórias, informações, carinho, forças vitais e muitas forças vitais.

 É para esse amigo que oferto toda gratidão, amor e carinho por estar aqui esporadicamente comigo! Amigo, você pode estar longe de mim, pode estar em outro país, viajando, em um leito de hospital, em seu quarto, talvez seja, o seu computador a única janela que o conecta com o mundo atualmente. O que importa é que mesmo estando tão distante fisicamente de você, mesmo nunca o tendo visto, tocado, abraçado, saiba que Eu Amo Você! E que escolher um presente para você, foi muito difícil, passei semanas refletindo o tema do post para presenteá-lo…

Sim, o meu amigo oculto é…VOCÊ!

Você mesmo, querido (a) leitor (a)!

E para o ano de 2012, eu te desejo muita perseverança! Nunca desista de seus ideais, vença todos os seus obstáculos, supere-se, maximize-se, cresça, transforme, transmute, transcenda, transponha suas barreiras! Repito, nunca desista!

Você já observou a atitude dos pássaros ante as adversidades?

Um pássaro fica dias fazendo o seu ninho, preparando-se para chegada de seus filhotes, recolhendo materiais, às vezes trazidos de locais distantes para que o ninho fique exatamente com padrão ideal para o acondicionamento da fêmea e seus ovos.

E de repente, quando ele já está pronto e a fêmea está preparada para por os ovos, as inclemências do tempo, a ação do ser humano ou animal destrói o que com tanto esforço se conseguiu realizar até ali…

O que faz o pássaro?

Desiste?

Pára?

Abandona tudo?

Acredita que é o fim?

Aceita que ter um ninho talvez não seja algo destinado a ele?

Chora por horas a fio se sentindo o pior dos pássaros?

Esbraveja?

Vai de encontro ao seu algoz para puni-lo?

Amargura-se?

 

De maneira nenhuma! Ele começa, uma outra vez, com mais afinco e determinação, esforça-se até que no novo ninho apareçam os primeiros ovos. Missão cumprida!

Mas, você acha que esse é o “feliz para sempre” de um pássaro?

Não, não o é.

Em muitas ocasiões, antes que nasçam os filhotes, vem um animal, uma criança, uma tormenta, que volta a destruir o ninho, mas agora com seu precioso conteúdo…

E lá vai o pobre passarinho começar tudo do zero.

Qual a atitude que ele tem agora?

Dói recomeçar do zero… Mas, ainda sim, o pássaro jamais emudece, nem retrocede, segue cantando e construindo, construindo e cantando, catando e construindo…Nada de melindres!

Ele sim é mestre em entender que a alegria é a nossa força! Podemos superar qualquer adversidade com alegria e gratidão pela vida!

É por isso que amo tanto a natureza, cada bichinho tem a sua lição de vida! É impressionante como cada um deles nos ensina alguma coisa!

Quando a nossa adversidade é muito grande as nossas forças se exaurem muito mais rápido.

Cansado de recomeçar?

Cansado das lutas diárias?

Da confiança traída?

Das metas inalcançáveis?

Cansado de esforçar-se?

Mesmo que a vida o golpeie mais uma vez, não se entregue nunca, pense em coisas boas, ponha sua esperança na frente e avance.
Não se preocupe se na batalha você foi ferido, é esperado que algo assim aconteça.
Junte os pedaços de sua esperança, arme-a de novo e volte a ir em frente.

Não importa o que você passe…
Não desanime, siga adiante.

A vida é um desafio constante, mas vale a pena aceitá-lo. E sobretudo… Nunca deixe de construir e cantar.

 

Um grande ano de 2012!

Beijos,

Andréia Kely


Medulas ósseas transportam amor!

A medula transporta amor!

Caçadores de Medula Óssea

Olá, meu nome é Andréia Kely!

Criei o blog Caçadores de Medula Óssea a fim de reunir todas as informações sobre campanhas de doação de medula óssea, bem como interagir como uma ferramenta educativa, explicativa, esclarecedora e motivadora para todos os que entendem a grandiosidade de doar vida!
Dedico este blog a todos que vivem ou já viveram com diagnósticos de leucemia e doenças do sangue!
Sejam bem vindos, a grande corrente pela vida!

Lembrem-se sempre: Basta apenas uma gota de seu sangue, para que a vida aconteça novamente! A VONTADE é a maior POTÊNCIA do MUNDO!
Aproveitem o seu dia!

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 2.184 outros seguidores

Leia também os posts antigos

Posts por Categoria

Siga-me no Twitter!

Principais acessados

  • Nenhum

MedVidas – Planos de Saúde, Seguros de Vida

Saúde à Vida

Saúde à Vida

Blog Voluntário



<BannerFans.com






Pensar ECO
Coloque um V em sua foto!
http://avidadependedeumgesto.blogspot.com/