Caçadores de Medula Óssea

A Borboleta Azul

Posted on: 28/11/2010

Falar sobre o câncer é algo que sempre me desafia. Mas, o Câncer nos dá duras lições de vida. Literalmente, aquilo que não nos mata, fortalece. Imaginar que o seu pior inimigo é o seu próprio corpo é algo digno de ficção científica, lidar com a situações cotidianas da forma natural e reagir ao mundo e aos estímulos com equilíbrio é algo torturatemente difícil. A pergunta crucial sempre vem a cabeça “Porque eu?” ou “Porque coisas ruins acontecem a pessoas boas?” ou discutir onde erramos é sempre em vão. O silêncio é sempre o que se tem como resposta.

A verdade e os nossos frágeis credos nos colocam diante do xeque mate com a vida e tudo o que aprendemos. Até onde estamos certos? E como lidar com o assédio das pessoas, com a enchurrada de lamentações e todo aquele papo de destino, de que nada é em vão, que éramos para passar por isso…e blá, blá, blá. A verdade é que não ligo para o que as pessoas pensam, ninguém jamais terá resposta para coisas como essas. O que me importa saber é que tudo começa na nossa essência, somos nossos médicos e os nossos monstros. Somos a cura e a doença. Somos o equilíbrio e o desequilíbrio. Somos o nosso deus e o nosso diabo.

O que a massa de dados científicos hoje apontam é que o mesmo corpo enlouquecido também é armado de mecanismos de defesas, no entato, paira o mistério de como acionar essas defesas naturais. Todos temos o câncer dentro de nós, mas, somente alguns desenvolvem-no de forma latente.

Polêmicas a parte, o que quero me focar é na convivência com as pessoas e no dia a dia. Acreditem, ainda sonhamos e ainda temos projetos de vida. Importa-nos viver como um vivo no mundo dos vivos. É um fato muito estranho que a vida acabe desse jeito! É imergir num período muito duro, duro demais para conviver com a autocomiseração. Por isso, escolhi a felicidade, escolhi a alegria e o prazer de viver um dia após o outro.

No início pensa-se “não é possivel que isto tenha acontecido, é impossível” depois chega-se a conclusão “Sabe de uma coisa é possível e não é assim tão grave”. Neste instante chegamos a evidência de que faz parte da experiência humana, muitas outras pessoas a viveram antes e mim e não somos diferentes. Somos todos iguais, humanos e frágeis. Depois, quando tive medo novamente, tive que aprender a controlar minhas emoções e a continuar, não importa como a vida é para você, mas, ela nunca parará a espera de que você a compreenda.

Nesta imensidão de sentimentos e impressões, existe uma lenda que eu particularmente adoro, é a lenda da Borboleta Azul. Para quem não a conhece segue abaixo, com minhas reflexões sobre o assunto:

A Borboleta Azul

A lenda conta que uma menina curiosa, decide colocar à prova o velho sábio, por duvidar de que fosse realmente um sábio. Tomou nas mãos uma borboleta azul, escondeu-as mãos com a borboleta para trás, foi até o sábio e disse: tenho nas mãos uma borboleta azul, ela está viva ou morta. Antes que o sábio respondesse tinha preparado o seguinte ardil: se ele disser que está viva, eu a esmago e ela estará morta; ele não é um sábio. Se ele disser que ela está morta , eu a deixo voar; ele não é um sábio. Mas o sábio, como podíamos esperar de um sábio, foi muito sábio em sua resposta, ele disse: Ela está em suas mãos, depende de você.

Esta lenda nos propõe questões muito profundas. Podemos começar por refletir o significado da borboleta. A borboleta é o resultado de um processo de metamorfose. Primeiro é larva, torna-se crisálida e depois, finalmente, borboleta. Também é um dos símbolos mais significativos da Psique. Em algumas imagens a “menina psique” tem asas de borboleta, quando aparece em quadros ao lado do belo “menino eros” que tem asas de pássaro.

Na Grécia antiga, quando a borboleta emergia do casulo (da crisálida) dizia-se que este momento era idêntico a profunda liberação, equivalente ao atingir da imortalidade. Simbolicamente, cada um de nós trás em si a possibilidade desta metamorfose, o que significa pois, cada um destes estágios?

Há pessoas que não conseguem deixar o casulo, para elas a vida é pesada, velha, monótona, inútil, sem sentido. Partes de si mesma, ficam aprisionadas no passado, o qual a pessoa reluta em deixar, ou porque não sabe como fazê-lo, ou porque não tem coragem de fazê-lo, ou porque teme demasiadamente o futuro. Aquele que consegue libertar-se do casulo é aquele que consegue aceitar o paradoxo de vida e morte, que se repete continuamente a cada novo padrão de crescimento.

O medo de deixar os velhos padrões impede o voo. No centro dos velhos padrões e do medo de deixá-los está a insegurança. O medo da mudança está aqui, porque a criança que delega a responsabilidade sobre si mesma a outrem, continua predominado na vida de indivíduos adultos. Voar é responsabilizar-se, pelo bem e pelo mal, ou, pelo além do bem e do mal.

Viver é fluir com a mutação, em termos da alquimia oriental, isto significa “seguir o Tao”. Fluir implica uma grande capacidade de suportar a solidão. Dizemos suportar, porque quando começamos a tomar consciência de nossa solidão o que queremos é fugir dela. Parece algo abominável, terrível. Nada nem ninguém a quem possamos  nos “agarrar”; nada nem ninguém para quem correr. É um tempo muito ameaçador. Não sabemos ainda, neste tempo inicial, que ou se, podemos contar conosco mesmos. Mas para aqueles que se propõe a suportar  a sua solidão, está reservado o nascimento do herói dentro de si.

É o herói que poderá criar dentro de nós um núcleo de segurança, uma confiança e uma certeza inabaláveis.


A agonia do tempo necessário à preparação da metamorfose de crisálida à borboleta, é suportada por poucos. Amigos e familiares estranham aquele que de repente está introvertido, silencioso, reflexivo. Estranham mais ainda, os primeiros voos confusos da borboleta que acaba de nascer e ainda não está adaptada ao seu novo padrão de leveza. JUNG escreve que o sacrifício necessário para se chegar a ser quem se é, é o sacrifício do “homem natural”, da inconsciência, da ignorância, da ingenuidade.

A meta de todo o processo de individuação junguiano, é a consciência do Si-mesmo, ou seja, o centro regulador da psique. O Si-mesmo, começa a manifestar-se através do conflito. A cada novo aumento de consciência, temos conflito. Podemos ficar aprisionados andando em círculo, ou podemos fluir andando em espiral. Há uma mudança sutil cada vez que atingimos um novo nível da consciência em espiral. Para tal, requerem-se muitas condições; requer-se um trabalho lento e gradativo, difícil e em certas épocas lancinantemente doloroso. Devido a tais insuportáveis dificuldades, grupos se reúnem formando comunidades religiosas, para criar com isto, um contenedor, um suporte para o indivíduo poder baixar às suas próprias profundezas, às suas próprias sombras.

Sem um contenedor, pode o processo tornar-se insuportável. Neste sentido, o consultório do analista é um contenedor por excelência. Para que a crisálida seja mantida viva, é preciso que esteja acontecendo a retirada das projeções. Em seu livro “Puoi volare, Farfalla”, Marion Woodman, nos deixa algumas vozes da crisálida: É difícil para mim, crer na vida…

O que estou fazendo com o meu tempo? Jogando- o fora? Não sei… não sei…esta solidão é terrível…Estou sempre tentando ser o que não sou…Estive tão ocupado fazendo que parece que perdi algo de muito precioso para mim…Estou combatendo o meu destino… o que ele quer de mim? São muitas vozes, muitos sons. Muitas vozes também convidam-nos a voar, uma delas é de W. Goethe: “Há uma única Verdade elementar, cuja ignorância mata inumeráveis idéias e explêndidos planos: no momento em que, empenhamo-nos a fundo, também a Providência então se move. Infinitas coisas ocorrem para ajudar-nos, coisas que de outro modo, não poderiam nunca acontecer…

Qualquer coisa que possas fazer, Ou imaginar poder fazer, Começa-a . A audácia tem em si gênio, poder, magia. Começa agora”.

E por falar em Borboleta Azul, existe um filme que me inspira e convido a todos a assisti-lo, segue o trailer:

 

Um bom final de semana a todos!

Anúncios

5 Respostas to "A Borboleta Azul"

nice, love this blog, how do I subscribe

Um dos filmes de beleza impresionante, adorei e recomentdo

Parabéns pelo texto, obrigada por compartilhar este lindo ensinamento com nós.
Um forte abraço com carinho e respeito.
Cláudia A. Bergamaschi.

Reblogged this on Equilíbrio Corpo e Mentee comentado:
Olha só pessoal, estava nagevando na net para saber um pouco mais a respeito da Lenda da Borboleta Azul e, encontrei este texto lindo emocionante neste Blog (blogdaandreiakely), que tomei a liberdade de republicar e compartilhar com todos vocês. Espero que vocês tenham uma ótima leitura.
Um forte abraço a todos.
Cláudia.

Muito linda esta materia, me identifico demais com elas.
Obrigado pelo salutar prazer de ler tal texto.
Rosangela Cesimbra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Medulas ósseas transportam amor!

A medula transporta amor!

Caçadores de Medula Óssea

Olá, meu nome é Andréia Kely!

Criei o blog Caçadores de Medula Óssea a fim de reunir todas as informações sobre campanhas de doação de medula óssea, bem como interagir como uma ferramenta educativa, explicativa, esclarecedora e motivadora para todos os que entendem a grandiosidade de doar vida!
Dedico este blog a todos que vivem ou já viveram com diagnósticos de leucemia e doenças do sangue!
Sejam bem vindos, a grande corrente pela vida!

Lembrem-se sempre: Basta apenas uma gota de seu sangue, para que a vida aconteça novamente! A VONTADE é a maior POTÊNCIA do MUNDO!
Aproveitem o seu dia!

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 2.184 outros seguidores

Leia também os posts antigos

Posts por Categoria

Siga-me no Twitter!

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Principais acessados

  • Nenhum

MedVidas – Planos de Saúde, Seguros de Vida

Saúde à Vida

Saúde à Vida

Blog Voluntário



<BannerFans.com






Pensar ECO
Coloque um V em sua foto!
http://avidadependedeumgesto.blogspot.com/
%d blogueiros gostam disto: